Autista, Autismo, asperger, criança autista, pessoas com e deficiencia, deficientes, TDAH

Loading...

sexta-feira, 23 de julho de 2010

Amordaçamento da Sociedade

Existe um esforço deliberado do governo para emburrecer as massas?
A afirmação é difícil de provar, mas existe uma grande quantidade de dados que comprovam que a elite dominante não só tolera, mas efetivamente introduz políticas que têm um efeito negativo sobre a saúde física e mental da população.
A desumanização das massas é muitas vezes discutida em artigos sobre o cidadão desatento.
A presença desses conceitos na cultura popular, no entanto, provoca profunda transformação em nossa sociedade.
Os dados científicos têm provado há anos que os governos ao redor do mundo toleram a venda de muitos produtos que têm efeito direto e negativo sobre a saúde cognitiva e física.
Medicamentos de uso diário causam danos cerebrais. A elite deseja que a população seja idiota. Uma população educada conhece os seus direitos, entende problemas interfere quando não aprova o que está acontecendo.
A julgar pela incrível quantidade de dados disponíveis sobre o assunto, demonstra que a elite quer uma população assustada, confusa e sedada, sob os efeitos de medicamentos sobre o corpo humano, que estão sendo empurrados por pessoas de dentro da estrutura de poder.
O abuso de medicamentos tem sido testemunhado nas últimas décadas com o aumento impressionante de drogas que estão sendo prescritas para tratar de todos os tipos de problemas.
As crianças particularmente é que são as mais afetadas por este fenómeno. Desde a década de 1990, uma proporção sempre crescente de crianças está sendo diagnosticado com “doenças” como o Déficit de Atenção e Hiperatividade (ADD) para as quais são prescritos medicamentos que alteram a mente, como a Ritalina.
As crianças que demonstram muita energia e força de caráter estão sendo deliberadamente sedadas com drogas poderosas que afetam diretamente a maneira de como o cérebro funciona.
Será que estamos indo na direção certa?
O Déficit de Atenção e Hiperatividade (ADD) ainda não está claramente definido como desordem, pois não causa nenhum efeito biológico.
Sendo muito grande o número de crianças diagnosticadas com essa doença, isto está levantando importantes questões éticas.
Pediatras, em um artigo publicado no New York Times, em nome da ética, manifestaram suas preocupações com o uso desses medicamentos questionando a pertinência de medicar crianças sem um diagnóstico claro.
Esta preocupação também foi manifestada quando foram observadas grandes diferenças entre os padrões da pediatra prática e da Academia Americana de Pediatria (AAP), pois diretrizes para a avaliação e tratamento de crianças com transtorno de déficit de atenção/hiperatividade (TDAH) apresentavam muitas discrepâncias.
A comunidade médica também afirma que não chegou a um consenso sobre como diagnosticar ADD /ADHD, e não devem tomar decisões de como tratar os indivíduos que foram diagnosticados com o transtorno.
O uso da Ritalina rompe o limite psicológico das pessoas para manter o uso, o que torna as crianças mais propensas a consumir drogas psicotrópicas mais tarde.
Não devemos ficar surpresos por testemunhar um aumento dramático do consumo de antidepressivos e outras drogas psicotrópicas - aquelas que afetam a química do cérebro – nos próximos anos. A tendência já começou.
O uso de medicamentos pode ser de grande ajuda para determinados casos diagnosticados. A indústria farmacêutica, no entanto, que tem muitos "amigos" nos altos escalões do governo está empurrando o amplo uso de medicamentos psiquiátricos no público.
Desde 2002, um grande número de comprimidos que reivindicam correção de todos os tipos de doenças mentais têm sido comercializados, mas muitos deles foram aprovados para venda sem a devida investigação dos efeitos colaterais, e mais: eles podem ter sido conhecidos, mas foram escondidos do público.
Alguns destes efeitos são realmente assustadores e de como uma pílula não deve ter poder sobre o cérebro humano.
Alguns medicamentos estão sujeitos a advertências, pois eles podem causar-lhe... Suicídio?

Artigo com base nos textos do:
“http://vigilantcitizen.com/?p=4051” e
Elizabeth Cohen – CNN
Foto: Vigilant Citizen
Tradutor: Google