Autista, Autismo, asperger, criança autista, pessoas com e deficiencia, deficientes, TDAH

Loading...

quinta-feira, 5 de agosto de 2010

Dia dos Pais Excepcionais



Podemos conceituar que retirar oportunidades de autorealização de uma pessoa, é uma atitude violenta que não condiz com os níveis elevados de ser humano, e adentra a Lei de Ação e Reação.
Uma simples análise comparativa me impele correlacionar, a magnitude de ver os pais de deficientes no sentido duplo da palavra, mentais ou não, no desenvolvimento da sociedade de entes formais, porque suas histórias, causas e efeitos, ficam restritas às instituições de cuidados específicos, círculo familiar e muitas vezes escondidas como renegadas pela discriminação e pelo preconceito,
ambos numa realidade imaterial, originadas pela ignorância exacerbada.
Os pais de excepcionais, termo esse utilizado inicialmente pelas ciências para portadores de dificuldades de aprendizagem e, posteriormente, estendido a todos os tipos de deficiências e supra-eficiências fora dos limites convencionados como normalidade são personalidades
que ainda aguardam a misteriosa escala que autoriza a classificação dos seus filhos como tal.
Desabilitados para isso ou aquilo, ou pessoas portadoras de deficiências como já foram consideradas, com estranho carisma, caminham juntas com a indiferença, mas, jamais colaboram com as condutas que revelam desequilíbrio, provocando frustrações pessoais geradas pelo comodismo de desinteressados.
Deficiências Mentais e Deficientes Mentais
são expressões que vem sendo contestadas, em razão dos atuais conceitos sobre a mente.
Em alguns grupos, utilizam-se expressões, como deficiência de raciocínio, deficientes de raciocínio ou portador de inteligência diversamente variada.
A defesa dessas expressões baseia-se no pressuposto de que a deficiência dessas pessoas está na manifestação do raciocínio lógico e não propriamente na mente.
A tendência atual em se manter é a expressão:
“pessoas com necessidades especiais”, abrangendo todos os casos.
Sendo a inteligência “o atributo essencial do espírito”, não há ninguém
que nasça com diminuição dessa qualidade, porém, pode manifestá-lo diversamente.
Alguns que vislumbram a utopia de uma sociedade mais justa e perfeita sabem que esta realidade sofre combate sistemático, onde os segmentos maniqueístas enxergam o mundo como um lugar onde só se deve sofrer, a luz da lei, como diria o jurista, mas, sem garantir os princípios básicos de uma vida digna, pois elas estabelecem direitos às pessoas, da concepção até a morte.
Já no ventre materno - o feto - de acordo com a lei, tem o direito de ser herdeiro,
receber doações, legados, e também ser adotado.
O feto pode também figurar como sujeito ativo e passivo de obrigações, desde que nasça com vida.
A personalidade civil do homem começa no nascimento, com vida, diz a lei dos homens, bem como seus direitos inalienáveis, intransmissíveis, imprescritíveis e irrenunciáveis.
Realizados no prazer de manter e preservar seus filhos, as mães e os pais excepcionais, provocam expurgos, para garantir sua autoridade invariavelmente enfraquecida pela falta de legitimidade de quem as critica.
Combatem por vezes sem a mínima condição de participar da intimidade dos poderes constituídos, resistindo às tentações de por alguns momentos cruciais largar tudo, embora sabendo que mais hoje ou amanhã, de frágeis e minúsculas criaturas,
ambas serão gigantes vencedores e exemplos para serem seguidos.
O estudo da variadíssima e complexa fenomenologia catalogada na doutrina espírita, através de diferentes canais mediúnicos, nos levaram a identificar implicações filosóficas e científicas que já descortinadas no conhecimento humano, o deficiente mental, ou seja, lá qual for à titulação que lhe seja atribuída, analisado com isenção, revela sua realidade espiritual.
Estabelecida uma metodologia própria de vida, e experimentando um padrão anímico-consciencial diferenciado, o deficiente mental registra e expressa inúmeras manifestações confiáveis e verdadeiras.
Por mais que os pais excepcionais procurem sondar o horizonte do tempo, dificilmente alcançarão suas origens, pois mesmo que conseguissem estabelecer uma regressão total na sua memória, ficariam estacionadas no meio do caminho, quando encontrassem com ela,
e observando o futuro não teriam parâmetros para medi-la.
Sejam elas de finalidades materiais, de formação filosófica que reúna mentes, ou de entendimentos espirituais que possibilitem o alcance de objetivos superiores, só as mães em maior grau e os pais, tem a fórmula do amor materializada nos seus filhos deficientes,
tal como indicou o Divino Mestre em sua insuperável síntese evangélica.

Feliz Dia de todos os Pais.
Excepcionais que são.

Capítulo 8 - Página 62 do Livro:
VIVÊNCIAS AUTÍSTICAS
Foto - Google.