Autista, Autismo, asperger, criança autista, pessoas com e deficiencia, deficientes, TDAH

Loading...

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Médico brasileiro especialista em Autismo assume cargo na Georgia

O brasileiro Ami Klin brinca com criança no Yale Hospital,
onde foi chefe do departamento de Pesquisa de autismo.

A capital da Geórgia acaba de ganhar um importante aliado no tratamento e pesquisas sobre o autismo. Além de ser o chefe do Marcus Autism Center em Atlanta, o brasileiro Ami Klin assume os cargos de Pesquisador e de diretor da Divisão de Autismo e Deficiências Relacionadas do Departamento Pediátrico da Faculdade de Medicina. Ambas posições serão ocupadas na Universidade de Emory.
Segundo o jornal The Weekly, o médico brasileiro, que é internacionalmente reconhecido, se junta a outros cientistas mundialmente renomados. O time é considerado fundamental para o avanço nas pesquisas do autismo. “O trabalho deles pode transformar a vida de inúmeras crianças e suas famílias no mundo inteiro”, afirmou o presidente e diretor geral da Georgia Research Alliance, Michael Cassidy.
No Marcus Autism Center, Ami Klin será um líder que poderá transformar os diagnósticos, tratamentos e pesquisas do autismo. Sua nomeação coincide com o aniversário de 20 anos do local, que mantém o compromisso de melhorar a vida das crianças que tem autismo e males relacionados.
“O autismo não é mais uma doença rara. O Dr. Klin tem a incrível habilidade de pensar sobre este transtorno em termos de um sistema de atendimento e mudar o futuro de crianças afetadas pelo autismo na próxima geração”, declarou Bernie Marcus, fundador do Marcus Autism Center.
Psicólogo e pesquisador, Ami Klin deixa o cargo de professor de psicologia infantil e psiquiatria na Faculdade de Medicina da Universidade de Yale, em Connecticut. Na renomada instituição, o brasileiro dirigia o Programa de Autismo, e investigou aspectos do autismo, desde a infância até a idade adulta. Em uma tecnologia aplicada, o médico visualizava diretamente o olho da criança, o que permitia saber se ela tem autismo.
Números alarmantes
É com bons olhos que Klin vê o novo desafio em Atlanta. “Queremos avançar neste centro, trazendo especialistas e defensores da principais instituições acadêmicas e organizações estaduais, para juntos solucionarmos os quebra-cabeças e desafios associados ao transtorno do espectro do autismo”, disse o médico brasileiro.
Uma em cada 110 crianças nos Estados Unidos são portadoras de autismo. O número é maior ainda no estado da Geórgia, onde estima-se que mais de 20.000 crianças sofram da doença. O desafio do Dr. Ami Klin e de especialistas de Yale tem início em 2011.
Para o diretor executivo do Marcus Autism Center, Don Mueller, ter o médico brasileiro e a equipe dele é uma oportunidade única para impactar o futuro das crianças autistas. “A contratação do Dr. Klin ilustra o comprometimento da comunidade de Atlanta em construir um centro de autismo de nível mundial. Seu time colaborará com os membros do Consórcio de Autismo de Atlanta para transformar os cuidados das crianças que tem autismo na Geórgia e no mundo”, disse ele.
A presidente do Departamento Pediátrico da Emory University, Barbara Stoll, compartilha da opinião de Mueller. “Poucas contratações podem ser consideradas transformativas. O recrutamento do Dr. Klin e de seus colegas vai transformar nossos programas em autismo e neurociência social e tem um impacto bem além da Geórgia”, disse ela, que também é professora.

Da redação do ComunidadeNews.com
Foto: Reprodução do ComunidadeNews.com